28/09/2010

A onda verde cresce

Nos trackings que tomei conhecimento hoje, terça feira, a onda verde prossegue e ganha volume. Em escala nacional, Marina já aparece com 19 pontos. No Rio, um outro já aponta para 23 pontos, já tendo passado Serra, substancialmente e, preparando-se agora para disputar o primeiro lugar no Rio com Dilma, que caiu para 35 pontos, quando há poucos dias estava na casa dos 50.


Chegou a hora de potencializar a onda verde pelos celulares mandando para sua listagem essa mensagem:


Seja + 1 e seremos MILHÕES! Faça também parte da ONDA VERDE. Repasse para 2 ou mais amigos!


Marina 43 e Sirkis 4333.


Veja o programa de sábado passado em defesa da legislação ambiental ameaçada pelos ruralistas:


video




Empáfia e golpes sujos...

Conheço poucas pessoas que mudaram tanto no poder quanto Sergio Cabral Filho. Melhor explicando: em geral o poder muda as pessoas, quase todas, mas no seu caso foi uma autêntica metamorfose. Um jovem político afável, boa praça e de bom trato --no que pese a macunaímica falta de caráter-- transformou-se nessa figura balofa, cheia de empáfia e arrogância que vemos hoje. Mal sabe que o sucesso político é efêmero. Nosso ciclo ascendente é finito, não há happy end em carreiras políticas, sobretudo quando se trata de "animais políticos", que não tem muitos outros talentos nem interesses na vida. A decadência chega e ela é particularmente aguda na proporção da empáfia. Tempos piores sempre virão e neles conta o respeito dos pares, inclusive dos adversários, e a existência de verdadeiros amigos, não só os de conveniência.

Na medida em que engorda, Cabral Filho torna-se cada vez mais parecido com Picciani. Agora está mobilizado, pesado, para garantir a segunda vaga para esse capo de tutti capi da política fluminense. Com César Maia, praticamente, fora do páreo por razões análogas às mencionadas acima, a péssima gestão política e existencial do ciclo ascendente, o alvo de Picciani é Marcelo Crivella.

Decidi votar em Marcelo Cerqueira quando da coligação pró-Gabeira. Meu segundo voto iria para Milton Temer, apesar das grandes diferenças ideológicas que nos separam. Por ser uma pessoa decente. Parece que ele anda dizendo por aí que "dispensa" meu voto, porque dei uma merecida cacetada nos seu histrionico candidato presidencial depois que ele transformou Marina no seu alvo principal e defendeu a bomba atômica para o Irã.

Ontem, milhões de mensagens surgiram em celulares, pagers e caixas de email com uma mensagem fake do bispo Edir Macedo, supostamente pedindo voto para seu sobrinho Marcelo Crivella, com um discurso de dominação do Brasil claramente de provocação política. Sou, há muito tempo, um crítico da ação dos políticos ligados à Universal --minha experiência com eles na CMRJ não foi das melhores-- e tenho muitas razões para criticar Crivella (uma delas foi o que fez no Morro da Providência, tomando como base e distorcendo meu projeto Aquarelas do Porto) mas, considero-o uma pessoa correta, afável e muito melhor informada que a maior parte das pessoas imagina.

É tão repugnante o que estão fazendo com ele que vai acabar gerando um voto útil anti-Picciani beneficiando-o.









Nenhum comentário:

Postar um comentário